terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Os carinhos são cada vez mais ternos, doces e
intensos

E invadimo-nos

Numa saborosa telepatia de movimentos e
sensações…

Sinto a febre dourada que paira entre nós…

Convertemo-nos
em feras e largamos a suavidade.

Esmagamo-nos com toques de Delírio

Que
obrigam os poros da nossa pele

A largar ininterruptamente um suor
quente e desajeitado

Que escorre até aos nossos umbigos

E arde nas
mãos de cada um de nós,

Formando brasas de rara excitação.

2 comentários: