sábado, 14 de maio de 2011


O divã então foi banhado por suas lágrimas enquanto o psiquiatra despia cada peça de sua linha de pensamento.

Acaba a consulta e ele recebe o tal papel do diagnostico. Saindo da clinica ele entra no seu opala azul metalico abre o envelope.

Tem em suas mãos uma receita com alguns remédios e o diagnostico que estupidamente dizia o óbvio: Ele estava frustrado.

Segue rumo à seu apartamento; sobe as escadas para adiar o encontro com
sua familia. Pensava incessantemente consigo "Deus; se você existisse
talvez pudesse me entender.".

Quando deu por si; subira tanto as escadas que estava no topo do andar mais alto do edifício onde residia.

Chegou perto da borda daquela estrutura e não teve duvidas, precisava fazer algo por si mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário