terça-feira, 17 de maio de 2011


agonia..

senti a lâmina cortar meu pescoço
prezo entre quatro paredes – silêncio
Exaltando o medo, " intenso"
Faz-se fugir aos olhos e ouvidos
E a mãos trêmulas, aflitas
Refugio a alma todo meu desgosto

Penso no que busco - paz?
Desligando-me deste mundo – ao avesso
Imaginando um caminho, um novo começo
Junto a esperança de um universo novo
Mas o sangue esgota-se em meu corpo
E agora é tarde demais.....

Nenhum comentário:

Postar um comentário