domingo, 13 de junho de 2010


Errei sim, mais uma vez. Talvez eu erre até que a terra coma meus olhos, mas que tipo de humano é aquele que não erra? Na verdade, quem não erra não é humano. Meus olhos já não vêem o que viam há 10 anos atrás. Neles, eu levava minha inocência e esperança de um dia viver em um mundo melhor. Tudo isso se foi. Agora, meus olhos estão manchados com o sangue sujo da mentira e da traição, só vêem aquela grande mancha escura que também preenche o meu coração. Me culpo por todo o mal que já fiz para as pessoas que amo, apesar de ninguém se culpar por todo o mal que fizeram a mim, talvez continue me culpando até que a terra coma meus olhos, e apague a mancha escura que preenche o meu coração. Meus erros, se comparados com os erros daqueles que me querem mal, são como minúsculas pedras... Que não completam nem um milésimo dos castelos de mentiras construídos por eles. Talvez seja assim até que a terra coma meus olhos e apague a mancha escura que neles há e a qual preenche o meu coração. Coração que agora tem que se acostumar com sua ausência... Com a falta que o seu sorriso lhe fará, sorriso o qual clareava a mancha que o preenchia, que lhe dava mais vida...

Nenhum comentário:

Postar um comentário